COMO CHEGAMOS ATÉ AQUI!


Em atuação na cidade Piracicaba desde 2015 | Foto: Arquivo Pessoal


O coletivo surgiu da necessidade de organização, articulação e formação de lideranças políticas de juventude negra em Piracicaba, em movimento para tratar das questões raciais, evidenciando esse racismo nada velado, que é a herança de um passado escravagista que se propaga nas relações socioculturais, políticas, econômicas e raciais que refletem em toda população negra brasileira, em forma de violência e desigualdades.


O primeiro encontro do Coletivo ocorreu no dia 6 de dezembro de 2015, no SESC-Piracicaba, contou com a presença de 35 pessoas, dentre elas pesquisadores, pessoas públicas, jovens estudantes, artistas e outros militantes. Durante os anos de 2016 a 2017, o coletivo utilizou de diversas temáticas e bibliografias, trazendo palestrantes como: Márcia Cristina Américo (Pós-Doutorando em Educação pela Universidade Metodista de Piracicaba, membro da linha de pesquisa Movimento Social e Educação); Viviane Marinho Luiz (Professora universitária, mestre em educação, doutoranda pela Unimep com discussão voltada para educação das relações étnico- raciais); Laudessandro Marinho da Silva (Liderança quilombola. Administrador de empresas formado pela Universidade São Francisco com foco em administração de cooperativa agrícola, organização e gestão da agricultura familiar do quilombo Ivaporunduva); e Antônio de Paula Junior (Professor, Doutorando em Educação com Pesquisa voltada a Cultura Africana e Afro-brasileira com ênfase na Oralidade).


Foto: Keila Santos


Participamos do 3° Encontro de Juventude de Terreiro da Região Metropolitana de Campinas na Fazenda Roseira; do 1° Encontro de Estudantes Negros e Negras de Campinas e Região; do 1° Encontro de Estudantes Negros e Negras da UEE-SP, na Comunidade de Quilombo de Caçandoca; fizemos o curso “Como Funciona a Sociedade I”, ministrada pelo Núcleo de Formação Popular 13 de Maio; e compomos a mesa “Conversa de Menina Preta”, como leitoras críticas no Encontro do Dia Municipal da Mulher Negra Latino Americana e Caribenha. Organizamos também um Sarau, trazendo como palestrante Vanderley Benedito Bastos na temática do protagonismo do negro na literatura, que trouxe o seu livro Dandara, duas poetisas e um poeta, finalizando com o grupo da Batalha Central de Mc’s de Piracicaba.


Foto: Keila Santos


Em 2018 realizamos bate papos sobre livros e filmes. Estudamos o livro “Mulheres, Raça e Classe” da professora e filósofa Angela Davis, que discute por meio de uma análise interseccional as categorias de raça, classe e gênero de modo indissociável e entrecruzado. Neste mesmo ano realizamos o encontro Wakandanos, aberto ao público, de cine debate sobre o filme Pantera Negra, em parceria com o Cine Barranco e Casa do Hip Hop.


Em 2019 realizamos o curso de Finanças Pessoais disponibilizado gratuitamente pela Fundação Bradesco, no qual tivemos contato com conceitos básicos sobre como montar seu planejamento, orçamento e noções de investimentos e linhas de crédito. O coletivo esteve presente também na roda de conversa "Da periferia para o mundo", projeto realizado pelo SESC Piracicaba no circuito “Rio das Artes” em conjunto com a Casa Hip Hop e o Coletivo Beleza Preta.


A proposta de formação do coletivo está aliada a encontros mensais para debater temas importantes que afetam a população negra, realizar visitas a locais históricos, participação de palestras, fóruns congressos e envolvimento com as questões políticas. Atualmente, com o avanço da pandemia e a necessidade de isolamento social, vimos o blog (a convite da Casa do Hip Hop, que tem sido a nossa sede) como um meio de partilha de estudos, leituras, debates e conhecimentos diversos.


 

Autor: Coletivo Prunegro


56 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo